Enhancing the QUAlity and Transparency Of health Research

EQUATOR resources in Portuguese | Spanish

Diretrizes-chave para relatar os principais tipos de estudos de pesquisa

Introdução a diretrizes-chave para relatos

Os seguintes são provavelmente os projetos de estudo mais usados na pesquisa relacionada à saúde: estudos randomizados controlados, estudos observacionais, estudos qualitativos, estudos de precisão de diagnóstico, estudos do melhoramento de qualidade, e revisões sistemáticas.

Diretrizes para relatos existem para cada um dos projetos acima. Essas diretrizes especificam a informação mínima que deve estar incluída em um relatório de pesquisa para permitir aos leitores avaliar o estudo e usar os seus resultados. Sem uma descrição exata e completa dos aspectos cruciais de um dado estudo de pesquisa, os leitores não podem tomar decisões confiáveis se o estudo é relevante a sua pesquisa ou prática clínica, se foi feito com exatidão e, assim saber se os resultados são confiáveis, se foram realizadas intervenções ou análises para que elas possam ser repetidas, etc. O relato exato é um fator importante que melhora a utilização da pesquisa publicada, ou, em outras palavras—relatos incompletos, seletivos ou de outro modo enganosos enfraquecem seriamente o valor e a possibilidade de usar a pesquisa, além de representarem desperdício de recursos e iniciativas investidos em tal pesquisa.chicago9a[1]

Para reforçar a importância das diretrizes-chave listadas abaixo, elas também estão relacionadas na ‘caixa azul’ da página inicial do nosso site e nas páginas Biblioteca e Ferramentas (Ferramentas: Autores; Editores; Bibliotecários; Professores). Os pesquisadores de saúde, editores e revisores devem conhecer e compreender essas diretrizes como parte de seu trabalho cotidiano.

Relatos de estudos randomizados controlados (RCTS)

A Recomendação CONSORT (Padrões Consolidados para Relatar Ensaios) é uma diretriz formada por uma checklist de 25 itens essenciais a ser incluída em um relato de estudos randomizados controlados e um fluxograma projetado para ajudar a documentar o fluxo de registros de participantes em um ensaio. O website CONSORT (http://www.consort-statement.org/) contém a versão mais atualizada da diretriz e relaciona todas as publicações CONSORT. É especialmente útil um longo artigo explicativo que apresenta a justificativa para cada item solicitado na checklist, com bons exemplos de relatos. Entre os detalhes metodológicos essenciais que nunca devem ser omitidos em relatos estão o método de geração da sequência aleatória de alocação e sua omissão na etapa de registro, qualquer cegamento, cálculo do tamanho das amostras, definição de resultados primários e resultados das análises especificadas previamente.

A Recomendação CONSORT contém recomendações genéricas para relatar ensaios randomizados controlados com grupos paralelos. Posteriormente, o grupo CONSORT ampliou a diretriz principal para acomodar os projetos particulares de ensaios (ensaios por grupos, ausência de inferioridade, pragmáticos), intervenções (não farmacológicas, ervárias, acupuntura), e tipos de dados (resumos, danos, resultados informados por paciente). Todas essas diretrizes estão disponíveis no website CONSORT. A Biblioteca EQUATOR também enumera algumas extensões adicionais desenvolvidas pelos grupos independentes do CONSORT (por exemplo, para relatar ensaios sobre alergia e medicina ocupacional).

Referências:

Apresentações selecionadas:

O uso desses slides está liberado, porém dê o crédito de preparação aos membros da EQUATOR Network

Relatos de estudos observacionais

Há três tipos principais de projeto observacional: estudos de cohort, estudos de casos-controles e pesquisas transversais. Infelizmente, a utilidade de muitos estudos observacionais pode ser limitada pelo risco de confundir e de viés. Um conjunto mínimo de recomendações para relatar esses estudos é especificado na recomendação STROBE (Fortalecendo o Relato sobre Estudos Observacionais em Epidemiologia) (http://www.strobe-statement.org). Similar à recomendação CONSORT, a diretriz STROBE apresenta uma checklist de 22 itens, dos quais 18 se aplicam aos três projetos do estudo antes mencionados e quatro são para tipos específicos. O longo artigo explica em detalhes todos os itens da checklist e é um recurso muito útil para ajudar a entender a metodologia dos estudos observacionais em geral.

A recomendação STROBE tem várias extensões: recomendações STREGA para estudos de associação genética, STROBE-ME para estudos de epidemiologia molecular (marcador biológico), e um projeto de proposta para STROBE para resumos a ser usado na preparação de resumos de conferência e de jornal (disponíveis nos websites STROBE ou EQUATOR).

Referências:

Apresentações:

O uso desses slides está liberado, porém dê o crédito de preparação aos membros da EQUATOR Network

Os relatos de caso aparecem com muita frequência em artigos médicos. A diretriz CARE proporciona uma estrutura para apoiar a necessidade de integralidade, transparência e análise de dados em relatos de casos e dados do local do atendimento à saúde. O acrônimo CARE é formado por CA—as duas primeiras letras de caso e RE—as duas primeiras letras de relatos. As ferramentas principais de CARE são recomendação CARE, checklist CARE e um modelo de redação de relato de caso. Esses produtos oferecem uma justificação e um formato padronizado aos autores para preparar relatos de casos mais completos e transparentes.

Referências:

Relatos de pesquisa qualitativa

A diretriz COREQ (critérios consolidados para relatos de pesquisa qualitativa) é uma checklist de 32 itens para relatar entrevistas e grupos focais, o método mais comum usado para a coleta de dados na pesquisa qualitativa em saúde. Os estudos qualitativos usam métodos não quantitativos para contribuir com novo conhecimento e fornecer novas perspectivas na assistência à saúde. Embora a pesquisa qualitativa abranja uma ampla gama de métodos de estudo, a maioria das publicações de pesquisas qualitativas em assistência à saúde descreve o uso das entrevistas e grupos focais.

As recomendações COREQ são baseadas em uma ampla busca de bibliografia e análise das publicações relevantes de checklists existentes usadas para avaliar os estudos qualitativos. A checklist COREQ consiste de itens específicos para relatar estudos qualitativos e exclui critérios genéricos que são aplicáveis a todos os tipos de relatos de pesquisa. COREQ é uma checklist abrangente que cobre todos os componentes necessários deste projeto de estudo que deve ser relatado. Os critérios incluídos na checklist podem ajudar os pesquisadores a relatar aspectos importantes da equipe de pesquisa, métodos e contexto do estudo, resultados, análise e interpretações.

Referências:

Relatos de estudos de precisão de diagnóstico

A finalidade da iniciativa STARD (Padrões para Relatos de Precisão de Diagnóstico) é melhorar a qualidade dos relatos sobre estudos de diagnóstico. A Recomendação STARD consiste de uma checklist de 25 itens e recomenda o uso de um fluxograma que descreve o projeto do estudo e o fluxo dos pacientes através do estudo. As recomendações STARD são baseadas em uma busca e análise sistemática de bibliografia e derivam do consenso dos especialistas. Os itens da checklist e do fluxograma podem ajudar os autores a descrever os elementos essenciais do projeto e realização do estudo, a execução de testes e os resultados.

Referências:

Relatos sobre estudos de melhoramento de qualidade

As diretrizes SQUIRE (Padrões para Melhorar a Qualidade e Obter Excelência em Relatos) fornecem uma estrutura para relatar estudos formais planejados, projetados para avaliar a natureza e eficácia das intervenções com as quais se busca melhoria da qualidade e segurança da assistência médica.

Referências:

Relatos de revisões sistemáticas

Síntese de pesquisa quantitativa (revisões sistemáticas e meta-análises)

A recomendação QUOROM (Qualidade de relatos de meta-análises), publicada em 1996, foi a primeira diretriz para relatos para ajudar autores de revisões sistemáticas. Porém, os avanços na metodologia de desenvolvimento das revisões sistemáticas e questões de publicação recém-identificadas levaram ao desenvolvimento de uma diretriz atualizada e renomeada em 2009—a recomendação PRISMA (Principais itens para relatar revisões sistemáticas e meta-análises).

A recomendação PRISMA facilita relatar revisões sistemáticas que avaliam os benefícios e inconvenientes de uma intervenção de assistência à saúde. A recomendação PRISMA consiste de uma checklist de 27 itens e um fluxograma de quatro fases para documentar o número de estudos considerados para revisão, os que são identificados pela primeira vez e aqueles que finalmente são incluídos na revisão.

Do mesmo modo que nos estudos randomizados, um relato de qualidade ajuda a determinar o nível de condução da revisão sistemática. As informações detalhadas sobre os critérios de inclusão, processo de busca, avaliação de risco de viés em estudos primários e fontes de financiamento são particularmente importantes. Embora o foco primário seja as revisões sistemáticas dos estudos randomizados, a maioria do seu conteúdo é de aplicação genérica.

A recomendação PRISMA tem duas extensões publicadas: PRISMA para relatar resumos de revisões sistemáticas e PRISMA-Equidade para revisões orientadas à equidade em saúde. PRISMA-P, atualmente em desenvolvimento, objetiva estender a recomendação PRISMA para dar orientação para otimizar o relato de protocolos de revisão sistemática.

Referências:

Apresentações:

O uso desses slides está liberado, porém dê o crédito de preparação aos membros da EQUATOR Network

Síntese de pesquisa qualitativa

A finalidade da recomendação ENTREQ é oferecer orientação aos pesquisadores e aos revisores para melhorar o relato de síntese de pesquisas qualitativas em saúde. A recomendação ENTREQ consiste de 21 itens agrupados em cinco domínios principais: introdução, métodos e metodologia, busca e seleção de bibliografia, avaliação e síntese dos resultados. Para cada item são fornecidos um descritor e exemplos.

Referências: